Além da macroeconomia de curto prazo: notas sobre a debilidade estrutural da economia brasileira no período recente

Autores

  • Victor Leonardo de Araújo Professor Adjunto da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense
  • Denise Lobato Gentil Professora Associada do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Produtividade, estrutura produtiva, inflação.

Resumo

Este trabalho identifica alguns gargalos estruturais que se transformaram em obstáculos para a elevação da produtividade média da economia brasileira. Assumindo uma abordagem que diagnostica o processo inflacionário recente como resultado de um conflito distributivo, a sua acomodação só é possível via obtenção de ganhos de produtividade, o que requer uma análise da estrutura produtiva e reflexões acerca das fontes de inovações e da ampliação do investimento. Metodologicamente, a contribuição deste artigo está em apontar que os entraves aos futuros avanços na política de redução da concentração da renda no Brasil exigem um olhar mais profundo e de longo prazo sobre a estrutura produtiva da economia nacional.

Referências

ARAÚJO, B. C. “Incentivos fiscais à pesquisa e desenvolvimento e custos de inovação no Brasil”. Radar nº 9, Tecnologia, Produção e Comércio Exterior. Brasília, Ipea, 2010.

ARESTIS, P., PAULA, L. F. & FERRARI-FILHO, F. “A nova política monetária: uma análise do regime de metas de inflação no Brasil”. Economia & Sociedade, vol 18, nº 1, 2009.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (BNDES). “Mercado doméstico impulsiona a retomada do investimento”. Visão do Desenvolvimento n. 78, 24 de fevereiro, 2010.

________. Relatório de Investimento n. 2, 4º trimestre de 2011, janeiro, 2012.

BELLUZZO, L. G. e ALMEIDA, J. G. “Como recuperar o vigor”. Revista Carta Capital, 05 de março, 2012.

BIELSCHOWSKY, R. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro, RJ: Contraponto, 1988.

BRAGA, J. & BASTOS, C. P. M. “Conflito Distributivo no Brasil: uma aplicação ao período recente”. In: VIANNA, S. T. W., BRUNO, M. A. P.; MODENESI, A. M. (Orgs). Macroeconomia para o desenvolvimento: crescimento, estabilidade e emprego. Perspectivas do Desenvolvimento Brasileiro, Livro 4. Brasília: Ipea, 2010.

BRAGA, J. “A inflação brasileira na década de 2000 e a importância

de políticas não monetárias de controle”. Anais do 39º Encontro da Associação Nacional de Pesquisa em Economia. Foz do Iguaçu, 2011. Disponível em: <http://www.anpec.org.br/encontro_2011.htm>. Último acesso: agosto de 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. & GALA, P. “Macroeconomia estruturalista

e desenvolvimento”. Revista de Economia Política, vol. 30, nº 4 (120) pp. 663-686, outubro-dezembro, 2010.

CARCANHOLO, M. D. “Inserção externa e vulnerabilidade da economia brasileira no governo Lula”. In: MAGALHÃES, J. P., FILGUEIRAS et alli. Os anos Lula: contribuições para um balanço crítico: 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

CARNEIRO, R. O desenvolvimento brasileiro pós-crise financeira: oportunidades e riscos. Observatório da Economia Global, Textos Avulsos nº 4, 2010. Disponível em <http://www.centrocelsofurtado.org.br/adm/enviadas/doc/pt_00000122_20100825134137.pdf>.

FEIJÓ, C. & CARVALHO, P. G. M. “Uma interpretação sobre a evolução da produtividade industrial no Brasil nos anos noventa e as ‘leis’ de Kaldor”. Nova Economia, vol. 12, nº 21, pp. 57-79, 2002.

FERRARI-FILHO, F., SILVA, G. T. F. & SCHATZMANN, S. “Políticas comercial e cambial, vulnerabilidade externa e crescimento econômico: a experiência da economia brasileira a partir dos anos 1980”. Nova Economia, vol 21, nº 1, pp. 11-43. Belo Horizonte: UFMG, 2011.

FILGUEIRAS, L. & GONÇALVES, R. A economia política do governo Lula. Rio de Janeiro: Contraponto, 2007.

FILGUEIRAS, L. & PINTO, E. “Política econômica do governo Lula e os limites do crescimento”. In: GOMES, F. G., PINTO, E. (Org). Desordem e regresso: o período de ajustamento neoliberal no Brasil, 1990-2000. São Paulo: Mandacaru, 2006.

FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado, 2009.

GENTIL, D. & ARAUJO, V. L. “Dívida pública e passivo externo: onde está a ameaça?” Revista Políticas Públicas, Número Especial, pp. 71-86, 2012.

IEDI. Carta nº 507, Investimentos em P&D na nova geografia do crescimento, 17 de fevereiro, 2012.

IPEA. Produtividade no Brasil nos anos 2000 – 2009: análise das Contas Nacionais. Brasília, Comunicados do Ipea, nº 133; 3 de fevereiro, 2012.

________. A dinâmica da inflação brasileira: considerações a partir da desagregação do IPCA. Brasília: Comunicados Ipea, nº 101; 21 de julho, 2011.

________. Políticas Sociais: acompanhamento e análise, nº 19, 2011b. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=8586&Itemid=9>.

KUPFER, D. e LAPLANE, M. (coord). Perspectivas do investimento no Brasil: síntese final. Rio de Janeiro: IE-UFRJ,2010. Disponível em:<http://www.projetopib.org/arquivos/pib_sintese-final.pdf>.

MARTINEZ, T. S. & CERQUEIRA, V. S. “Estrutura da inflação brasileira: determinantes e desagregação do IPCA”. Texto para Discussão 1634. Brasília: Ipea, 2011.

MATTEO, M. “Heterogeneidade regional”. In: Radar: tecnologia, produção e comércio exterior, n. 14 (junho). Brasília: IPEA, 2011.

MEDEIROS, C. A. Desenvolvimento econômico, heterogeneidade estrutural e distribuição de renda no Brasil. Rio de Janeiro, IE-UFRJ, 2004. Disponível em:.

MIGUEZ, T. H. Formação bruta de capital fixo na economia brasileira 2000 – 2007 – Uma análise com base nas matrizes de absorção de investimento (MAIs). Rio de Janeiro, Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Economia PPGE-Instituto de Economia/UFRJ, 2012.

MINEIRO, A. Desenvolvimento e inserção externa: algumas considerações sobre o período 2003-2009 no Brasil. In: MAGALHÃES, J. P., FILGUEIRAS et alli. Os anos Lula: contribuições para um balanço crítico: 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

MODENESI, A. & MODENESI, R. L. Quinze anos de rigidez monetária no Brasil pós-Plano Real: uma agenda de pesquisa. Revista de Economia Política, vol. 32, nº 3, 2012.

MODENESI, A. & VIANNA, S. T. W. “Avaliação da política monetária sob o regime de metas de inflação”. In: VIANNA, S. T. W., BRUNO, M. A. P. & MODENESI, A. M. (Orgs). Macroeconomia para o desenvolvimento: crescimento, estabilidade e emprego. Projeto Perspectivas do Desenvolvimento Brasileiro, livro 4. Brasília: Ipea, 2010.

MODENESI, A. Regimes monetários: Teoria e a experiência do Real. Barueri: Manole, 2005.

NOVAIS, L. F. “Do ‘voo da galinha’ ao crescimento sustentado: possibilidades e incertezas”. In: BIASOTO JR, G.; NOVAIS, L. F. & FREITAS, M. C. P. (Coord). Panorama das economias internacional e brasileira: dinâmica e impactos da crise global. São Paulo: FUNDAP: Secretaria de Gestão Pública, 2009.

OLIVEIRA, J. M. & SOUZA, A. G. “Heterogeneidade estrutural no setor de serviços brasileiro”. In: Radar: tecnologia, produção e comércio exterior, n. 14 (junho). Brasília: IPEA, 2011.

OREIRO, J. L. et alli. “Restrições macroeconômicas ao crescimento da economia brasileira: diagnósticos e algumas proposições de política”. Texto para Discussão nº 1431. Brasília: Ipea, 2009.

PACHECO, C.A. Uma comparação entre a agenda de inovação da China e do Brasil. IEDI, 2011. Disponível em: http://retaguarda.iedi.org.br/midias/artigos/4ed029e41cd9dbd2.pdf>. PASINETTI, L. Crescimento e distribuição de renda: ensaios da

teoria econômica. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

PEREIRA, B. R. Revisão crítica da hipótese de poupança forçada para a economia brasileira: 1946-1964. Dissertação de Mestrado. Niterói: UFF/Faculdade de Economia, 2006.

PRATES, D. “O regime cambial brasileiro de 1999 a 2008”. Textos para Discussão Cepal/Ipea nº 12. Brasília, DF: Cepal, 2010.

SERRANO, R. & SUMMA, R. “Política macroeconômica, crescimento e distribuição de renda na economia brasileira dos nos 2000”. Anais do IV Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira (AKB). Rio de Janeiro, 2011.

THIRLWALL, A. P. A natureza do crescimento econômico: um referencial alternativo para compreender o desempenho das nações. Brasília: Ipea, 2005.

VASCONCELOS, L. F. & NOGUEIRA, M. O. “Heterogeneidade estrutural no setor industrial”. Radar: tecnologia, produção e comércio exterior, n. 14 (junho). Brasília, IPEA, 2011.

VIEIRA FILHO, J. E. & SANTOS, G. R. Heterogeneidade no setor agropecuário brasileiro: contraste tecnológico. Radar: tecnologia, produção e comércio exterior, n. 14 (junho). Brasília, IPEA, 2011.

Downloads

Publicado

2015-09-15