Trabalho abstrato, objetivação, alienação, fetiche:

Marx lido por Postone

Autores

  • Paulo Henrique Furtado de Araujo Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Mario Duayer (in memorian) Universidade Federal Fluminense (UFF)

Palavras-chave:

Marx, Postone, valor, trabalho abstrato, alienação

Resumo

O artigo sustenta que o trabalho determinado por mercadoria é o eixo em torno do qual se organiza a sociedade do capital, que se caracteriza por uma sociabilidade indireta entre os humanos e direta entre as mercadorias, que são valores, ao mesmo tempo, valor de uso e valor (trabalho abstrato). Esse trabalho determinado por mercadorias objetifica a própria relação social, portanto, é um trabalho alienado, que produz mercadoria e fetiche simultaneamente e que plasma a objetividade e subjetividade do mundo do capital, ainda que constitua a possibilidade da crítica e da superação dessa sociabilidade.

Referências

ARAUJO, P. H. F. “Dominação abstrata. Capital: sujeito histórico”, GERMINAL: marxismo e educação em debate, vol. 12, pp. 348-362, 2020a.

______. “As categorias classes sociais e Estado no livro primeiro de O capital”, Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, vol. 56, pp. 21-47, 2020b.

______. “Notas críticas à compreensão de Lênin sobre o Estado: revisitando O Estado e a Revolução”, Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, vol. 50, pp. 114-141, 2018.

______. “Marx: capital, Estado e política: notas”, Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, vol. 43, pp. 37-62, 2016a.

______. “Notas críticas ao artigo ‘Miséria na filosofia marxista: Postone leitor d’O capital’, por Bidet”, Revista Verinotio, vol. 22, pp. 120-151, 2016b.

BHASKAR, R. Reclaiming Reality: A critical Introduction to Contemporary Philosophy. Londres: Verso, 1989.

______. A Realist Theory of Science. Londres: Verso, 1977.

DUAYER, M.; ARAUJO, P. H. F. “Valor como forma de mediação social: interpretação de Marx a partir de Postone”, Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, vol. 57, pp. 45-82, 2020a.

______. “Desventuras do marxismo tradicional: notas sobre a polêmica Harvey-Roberts”, Revista Outubro, vol. 34, pp. 63-88, 2020b.

______. “Para a crítica da centralidade do trabalho: contribuições de Lukács e Postone”, Revista Em Pauta, vol. 13, pp. 15-36, 2015.

DUAYER, M. “J. L. Borges, filosofia da ciência e crítica ontológica: verdade e emancipação”, Margem Esquerda, n. 24, pp. 86-110, jun. 2015.

______. “Mercadoria e trabalho estranhado: Marx e a crítica do trabalho no capitalismo”, Margem Esquerda, n. 17, pp. 88-99, 2011.

______. “Anti-realismo e absolutas crenças relativas”, Margem Esquerda, n. 8, pp. 109-130, 2006.

______. “Marx, verdade e discurso”, Perspectiva, vol .19, n.1, pp.15-39, Florianópolis, jan./jun. 2001.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo, 2012.

______. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K. H. O capital: crítica da economia política: livro 3: o processo global da produção capitalista. São Paulo: Boitempo, 2017.

______. O capital: crítica da economia política: livro 1: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

______. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011.

POSTONE, Moishe. Tempo, trabalho e dominação social: uma reinterpretação da teoria crítica de Marx. São Paulo: Boitempo, 2014.

Downloads

Publicado

2022-04-13