Integração produtiva em processos de regionalização econômica: o Mercosul em questão

Autores

  • Hoyêdo Nunes Lins Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

regionalização econômica, integração produtiva, Mercosul

Resumo

A regionalização econômica sobressai no debate contemporâneo sobre a espacialidade da acumulação de capital, e seus efeitos nos países e regiões envolvidos têm realce entre os aspectos abordados. Exibe especial destaque o problema da integração produtiva, implicando divisão espacial do trabalho, especialização das funções e complementaridades entre processos distribuídos nesses territórios supranacionais. No Mercosul, esquema de regionalização-integração com grandes desigualdades e assimetrias históricas, a integração produtiva mostra pouco alcance e, devido a razões estruturais e à própria dinâmica do referido processo, concentra-se desde o início no eixo Argentina-Brasil. A indústria automotiva tem proeminência nessa questão, apresentando forte comércio intrabloco em veículos, peças e componentes, um quadro que reflete as estratégias das empresas multinacionais implicadas. Traduzindo o entendimento de que os resultados até então obtidos na matéria eram pobres e que avançar nesses termos é fundamental, criou-se bem mais tarde um programa específico para promover a integração produtiva no Mercosul.          

Biografia do Autor

Hoyêdo Nunes Lins, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Economia e Relações Internacionais; Programas de Pós-Graduação em Economia e em Relações Internacionais

Referências

ABDI – AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL. Complementaridade produtiva entre Brasil e Argentina: oportunidades de negócios conjuntos para promover a integração. Brasília: ABDI, 2010.

ABDI – AGÊNCIA BRASILEIRA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL. Ações ABDI. S.d. Disponível em: http://www.abdi.com.br/Paginas/acao_resumo.aspx?i=105. Acesso em: 20 abr. 2015

ARBIX, G. “Políticas do desperdício e assimetria entre público e privado na indústria automobilística”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 17, n. 48, p. 109-129, 2002.

ATHUKORALA, P.; YAMASHITA, N. Production fragmentation in manufacturing trade: the role of East Asia in cross-border production networks. Tokyo: Nihon University, Center for China and Asian Studies, 2007. (Working Paper Series n. 003).

AZZONI, C. R.; FERREIRA, D. A. “Competitividade regional e concentração industrial: o futuro das desigualdades regionais no Brasil”. Revista Econômica do Nordeste, v. 28, p. 55-85, 1997.

BALASSA, B. Teoria da integração econômica. Lisboa: Livraria Clássica Editora, 1964.

BALTAR, C. T. “Comércio exterior inter e intra-industrial: Brasil 2003-2005”. Economia e Sociedade, v. 17, n. 1 (32), p. 107-134, 2008.

BOUZAS, R. “Apuntes sobre el estado de la integración regional en América Latina”. In: SEMINARIO “REGIONAL INTEGRATION IN THE AMERICAS: THE IMPACT OF THE GLOBAL ECONOMIC CRISIS”, Washington D.C.: Woodrow Wilson International Center for Scholars, Nov. 2009.

BYÉ, M. “Localisation de l’investissement et Communauté Économique Européenne”. Revue Économique, v. IX, n. 2, p. 179-212, 1958.

CEPAL. La inversión extranjera em América Latina y el Caribe – Informe 2009. Santiago de Chile: CEPAL, 2010.

CHUDNOVSKY, D.; PORTA, F.; LÓPEZ, A.; CHIDIAK, M. Los limites de la apertura: liberalización, reestructuración productiva y meio ambiente. Buenos Aires: Alianza Editorial/CENIT, 1996.

CURZEL, R.; MONTORO, F.; VARTANIAN, P. R. “Una investigación de la evolución del comercio intra-industria en la relación Brasil-Mercosur en el período 1996-2005: ¿qué dicen los dados?”. Revista de Economía Mundial, v. 24, p. 49-66, 2010.

DEOS, S. de (Coord.). Perspectivas do investimento na dimensão do Mercosul e da América Latina. Rio de Janeiro: UFRJ/IE, 2008/2009.

DESAI, F. P. “Trends in fragmentation of production: a comparative study of Asia and Latin America”. Procedia–Social and Behavioral Sciences, v. 37, p. 217-229, 2012.

DULLIEN, S. “Integração produtiva na União Europeia: uma perspectiva alemã”. In: ALVAREZ, R.; BAUMANN, R.; WOHLERS, M. (Orgs.). Integração produtiva: caminhos para o Mercosul. Brasília: Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, 2010, p. 156-219.

FERRER, A. “El êxito del Mercosur posible”. Revista de Economia Política, v. 27, n. 1(105), p. 147-156, 2007.

FIORENZANO, G. S. Integração produtiva no Mercosul: problemática, caracterização e realizações. 2016. 104 f. Monografia (Graduação em Relações Internacionais) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

FOSTER, N.; STEHRER, R.; TIMMER, M. International fragmentation of production, trade and growth: impacts and prospects for EU member states. Brussels: European Commission, 2013. (Economic Papers 484).

GIANSOLDATI, M. International fragmentation and agglomeration: from theory to empirics. Venice: Ca’Foscari University of Venice, 2010. (Working Paper n. 06/WP/2010).

GIERSCH, H. “Economic union between nations and the location of industries”. The Review of Economic Studies, v. XVII, p. 87-97, 1949-1950.

GRANATO, M. F. “Spatial effects of regional integration. The Argentinean manufacturing landscape after Mercosur”. In: XLII REINIÓN ANNUAL DE LA ASOCIACIÓN ARGENTINA DE ECONOMÍA POLÍTICA, nov. 2007, Bahía Blanca, Universidad Nacional del Sur.

HADDAD, E.; DOMINGUES, E. P.; PEROBELLI, F. S. “Brazil-Argentina trade and its impacts in Brazilian states”. Investigaciones Regionales, n. 7, p. 113-137, 2005.

HILLBERRY, R. H. Causes of international production fragmentation: some evidence. Melbourne: University of Melbourne, 2011. Obtido em: http://www.international.gc.ca/economist-economiste/assets/pdfs/research/TPR_2011_GVC/05_Hillberry_e_FINAL.pdf Acesso em: 25/01/2016.

HIRSCHMAN, A. O. A estratégia de desenvolvimento econômica. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

HUMPHREY, J.; MEMEDOVIC, O. The global automotive industry value chain: what prospects for upgrading by development countries. Vienna: UNIDO, 2003.

JOHNSON, R. C.; NOGUERA, G. “Proximity and production fragmentation”. American Economic Review: Papers and Proceedings, v. 102, n. 3, p. 407-411, 2012.

JONES, R.; KIERZKOWSKI, H. A framework for fragmentation. Amsterdam: Tinbergen Institute, 2000. (TI Discussion Paper n. 00-056/2).

JONES, R.; KIERZKOWSKI, H. “International fragmentation and the new economic geography”. North American Journal of Economics and finance, v. 16, p. 1-10, 2005.

JONES, R.; KIERZKOWSKI, H.; LURONG, C. “What does evidence tell us about fragmentation and outsourcing?”. International Review of Economics and Finance, v. 14, p. 305-316, 2005.

KAWECKA-WYRZYKOWSKA, E. Evolving patters of intra-industry trade specialization of the new Member States (NMS) of the EU: the case of automotive industry. Brussels: European Commission, 2009. (Economic Papers 364).

KRUGMAN, P. Geography and trade. Cambridge: The MIT, Leuven: Leuven University, 1991.

KUTNEY, P. “Volkswagen traz novos fornecedores ao Brasil”. AutomotiveBusiness, 18 ago. 2011. Disponível em: http://www.automotivebusiness.com.br/noticia/11394/volkswagen-traz-novos-fornecedores-ao-brasil Obtido em: 13 fev. 2016.

LO TURCO, A. South-South RTAs and industrial location: is there asymmetric development? Siena: Università Politecnica delle Marche, 2007.

LOPEZ, A.; LAPLANE, M. Complementación productiva en MERCOSUR: perspectivas y potencialidades. Montevideo: Friedrich Ebert Stiftung, 2004.

LÓPEZ, A.; PORTA, F. Iniciativas inter e intraempresariales argentino-brasileñas em el marco del MERCOSUR.Buenos Aires: Ministerio de Economía y Obras y Servicios Publicos, 1992.

LOS, B.; TIMMER, M. P.; VRIES, G. J. de. Globalization or regionalization? A new approach to measure international fragmentation of value chains. Groningen: University of Groningen, Groningen Growth and Development Centre, 2013. (GGDC Research Memorandum n. 138).

LUCÁNGELI, J. La especialización intraindustrial en Mercosur. Santiago de Chile: CEPAL, 2007. (Serie Macroeconomía del Desarrollo n. 64).

MACHADO, J. B. M. “Integração produtiva: referencial analítico, experiência europeia e lições para o Mercosul”. In: ALVAREZ, R.; BAUMANN, R.; WOHLERS, M. (Orgs.). Integração produtiva: caminhos para o Mercosul. Brasília: Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, 2010, p. 116-155.

MARINELLI, L. “Montadoras unem divisões”. Gazeta Mercantil Latino-americana, p. 27, 20 jul. 1998.

MEDEIROS, C. A. de. “A dinâmica da integração produtiva asiática e os desafios à integração produtiva no Mercosul”. Análise Econômica, v. 29, n. 55, p. 7-32, 2011.

MOATI, P.; MOUHOUD, E. M. “Les nouvelles logiques de décomposition internationale des processus productifs”. Revue d’Économie Politique, v. 115, n. 5, p. 573-589, 2005.

MYRDAL, G. Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Saga, 1968.

NONNENBERG, M. J. B. “Integração produtiva, fragmentação da produção e evolução do comércio internacional: como evoluíram os países da Ásia e América Latina?”. Texto para Discussão n. 1905, IPEA, 2013.

PERROUX, F. A economia do século XX. Lisboa: Morais Editora, 1967.

PORTO, P. C. “Economic integration and regional development: the impact of Mercosur in Brazil’s regions”. In: XXVIII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, dez. 2000, Campinas, ANPEC. Anais… (CD ROM).

PROGRAMA de Integração e Cooperação Econômica entre a República Federativa do Brasil e a República Argentina. Buenos Aires, 29 jul. 1986.

PROGRAMA de Integração Produtiva do Mercosul. San Miguel de Tucumán, 30 jun. 2008.

PUGA, D.; VENABLES, A. J. “Trading arrangements and industrial development”. The World Bank Economic Review, v. 12, n. 2, p. 221-249, 1998.

QUEIROZ, S.; CARVALHO, R. Q. “Recent developments in Brazilian auto-vehicle and components trade: building the space of production in Mercosur”. Actes du GERPISA, n. 25, p. 65-75, 1999.

SOUZA, A. de M. e; OLIVEIRA, I. T. M.; GONÇALVES, S. S. “Integrando desiguais: assimetrias estruturais e políticas de integração no Mercosul”. Texto para Discussão, n. 1477, Brasília: IPEA, 2010.

TRAISTARU, I.; MARTINCUS, C. V. “Determinants of manufacturing concentration patterns in Mercosur”. Conference Paper, n. 04/PDF/609, European Regional Science Association, 2003.

TRATADO de Integração, Cooperação e Desenvolvimento entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República Argentina. Buenos Aires, 29 nov. 1988.

TRATADO para a Constituição de um Mercado Comum entre a República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai e a República Oriental do Uruguai. Asunción, 26 mar. 1991.

UBOGUI, M. International fragmentation of production of the automotive industry in Argentina. Dissertação (Master of Science in MANAGEMENT, Economics and Industrial Engineering) – Politecnico di Milano, Facoltà di Ingegneria dei Sistemi – Milano, 2010.

VAITSOS, C. V. “Crisis en los procesos de integración econômica”. El Trimestre Económico, v. XLVI(1), n. 181, p. 35-128, 1979.

VAN BIESEBROECK, J.; STURGEON, T. “Effects of the 2008-09 crisis on the automotive industry in developing countries: a global value chain perspective”. In: CATTANEO, O.; GEREFFI, G.; STARITZ, C. (Eds.). Global value chains in a postcrisis world: a development perspective. Washington, D.C.: The World Bank, 2010, p. 209-244.

VASCONCELOS, C. R. F. “O comércio Brasil-Mercosul na década de 90: uma análise pela ótica do comércio intra-indústria”. Revista Brasileira de Economia, v. 57, n. 1, p. 283-313, 2003.

VENABLES, A. J. “Winners and losers from regional integration agreements”. The Economic Journal, v. 113, p. 747-761, 2003.

VOLKSWAGEN ARGENTINA. Grupo Volkswagen Argentina: Centros de Producción. S.d. Disponível em: http://www.volkswagen.com.ar/es/volkswagen-argentina0/centros-industriales.html. Acesso em: 03 jun. 2015.

VOLKSWAGEN DO BRASIL. História da Volkswagen. S.d. Disponível em: http://www.vw.com.br/pt/institucional/VolkswagenBrasil/volkswagen_do_brasil.html. Acesso em: 04 jun. 2015.

VOLKSWAGEN DO BRASIL. Volkswagen premia os fornecedores que mais se destacaram em 2011. 12 set. 2012. Disponível em: http://www.vwbr.com.br/ImprensaVW/Release.aspx?id=4ee63d2a-d070-4253-b860-ef61a379048 . Acesso em: 04 jun. 2015.

WIONCZEK, M. S. “Integración económica y distribución regional de las actividades industriales”. El Trimestre Económico, v. XXXIII, n. 131, p. 469-502, 1966,

YOUNG, A. A. “Increasing returns and economic progress”. The Economic Journal, v. 38, n. 152, p. 527-542, 1928.

ZEDDIES, G. Determinants of international fragmentation of production in the European Union. Halle: Halle Institute for Economic Research, 2007. (IWH Discussion Paper n. 15).

Downloads

Publicado

2018-01-23