Desenvolvimentismo transformador

Autores

  • Niemeyer Almeida Filho Instituto de Economia e Relações Internacionais Universidade Federal de Uberlândia

Palavras-chave:

desenvolvimentismo, desenvolvimentismo no Brasil, desenvolvimentismo transformador

Resumo

O artigo discute a pertinência e possiblidade de um desenvolvimentismo transformador a partir do debate sobre desenvolvimentismo no Brasil. O ponto de partida é o artigo de Mollo (2015) no qual são tratadas três posições que podem ser encontradas na literatura. A primeira é a posição que pode ser simplificadamente tratada de Neoliberal. A segunda posição é a desenvolvimentista, em suas diversas vertentes, para a qual alguma “ação econômica” do Estado é indispensável. Finalmente, a terceira posição é a marxista, evidentemente sujeita a matizes, caracterizando-se por uma postura anticapitalista, embora compatível, em termos de formulação da natureza do capitalismo, com a perspectiva keynesiana. O artigo de Mollo explora essas posições com referências bibliográficas bastantes sólidas. Ao final, sustenta o que poderia ser caracterizado como uma quarta posição na polarização apresentada acima, na qual o desenvolvimentismo assumiria necessariamente ações transformadoras, sobretudo aquelas que permitissem representação política e espaços de ação aos menos favorecidos e cooperação ao invés de concorrência.
Este artigo pretende acrescentar alguns elementos a esta ‘quarta posição’ por considera-la uma inovação importante ao debate. Nossa hipótese é que se encontram no escopo do desenvolvimentismo proposições de políticas que podem ser consideradas de transformação social estrutural.

Biografia do Autor

Niemeyer Almeida Filho, Instituto de Economia e Relações Internacionais Universidade Federal de Uberlândia

graduação em economia - UnB, 1979

mestre em economia - UnB, 1985

doutorado em economia - IEUNICAMP, 1994

pós-doutorado em economia - FEA, USP, 2009

Referências

BIELSCHOWSKY, R. (1988) Pensamento econômico Brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: IPA/Inpes.

BRESSER-PEREIRA (2006). O novo desenvolvimentismo e A ortodoxia convencional (New developmentalism and conventional orthodoxy). Available on-line with English abstract: http://gvpesquisa.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/arquivos/bresser_-_novo_desenvolvimento_e_a_ortodoxia.pdf

BRESSER-PEREIRA (2015) Reflecting on new developmentalism and classical Developmentalism. Available on line: http://www.bresserpereira.org.br/Texto-Discussão/379-Reflecting-TD395.pdf

BRESSER-PEREIRA, L. C. (org.)(1991) Populismo Econômico: Ortodoxia, Desenvolvimentismo e Populismo na América Latina. (Economic populism: Orthodoxy Developmentalism and populism in Latin America). São Paulo, Nobel.

CANO, W. (1993) Reflexões sobre o Brasil e a nova (des) ordem internacional. 2a. edição. Campinas: Editora da UNICAMP; FAPESP.

CARDOSO, M. L. (1972) Ideologia do Desenvolvimento no Brasil: JK e JQ. 2a. edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

CARNEIRO, R. de M. (2012) Velhos e novos desenvolvimentismos. (New and old Developmentalisms). Avalailable on-line with an English Abstract: http://www3.eco.unicamp.br/cecon/images/arquivos/3232.pdf

CHESNAIS, F. (1998) “Mundialização Financeira e Vulnerabilidade Sistêmica”. In: CHESNAIS, F. (org.) (1998) A Mundialização Financeira. São Paulo, Xamã

CHESNAIS, F. (2005). “O Capital Portador de Juros: acumulação, internacionalização, efeitos econômicos e políticos”. In: Chesnais, F. (org.) Finança Mundializada. São Paulo. Boitempo.

FONSECA, P.C.D. (2004) Gênese e precursores do desenvolvimentismo no Brasil. (Genesis and precursors of developmentism in Brazil). Available on-line with an English abstract: http://www.centrocelsofurtado.org.br/arquivos/image/201210091435240.Origens%20do%20Desenvolvimentismo.pdf

FONSECA, P.C.D. (2015) “Desenvolvimentismo: a construção do conceito”. Brasília, IPEA. Texto para Discussão número 2103, julho. Disponível em http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=25801 , acesso em 31/10/2016.

HARVEY, D. (2004). O Novo Imperialismo. São Paulo, Edições Loyola

HIRSCH, J. ([1994] 2007) “Forma Política, Instituições Políticas e Estado”. In Crítica Marxista, números 24 e 25 (publicado em duas partes), pp 9-36 e 47-73.

HIRSCH, J. (1978) “The State apparatus and Social Reproduction: elements of a theory of the bourgeois State”. In HOLLOWAY, J. & PICCIOTTO, S. (1978), State and Capital: a Marxist debate. London: Edward Arnold (publishers) ltd. pp 57-107.

HOLLOWAY, J. & PICCIOTTO, S. (1978) State and Capital: a Marxist debate. London: Edward Arnold (publishers) ltd.

MARINI, R. M. (1985). Subdesarrollo y revolución. México: Siglo XXI.

MELLO, J.M.C. (1982). O capitalismo tardio. São Paulo: Braziliense.

MOLLO and AMADO (2015) O debate desenvolvimentista no Brasil – tomando partido. (The Developmentalism debate in Brazil: taking sides). Available on-line with English abstract: http://www.scielo.br/pdf/ecos/v24n1/0104-0618-ecos-24-01-00001.pdf

MOLLO, M. L. R. & FONSECA, P. C. D. (2013). “Desenvolvimentismo e Novo-Desenvolvimentismo: raízes teóricas e precisões conceituais”, Revista de Economia Política, v. 33, n. 2 (131), abril-junho.

MOLLO, M.L.H. (2015) O debate desenvolvimentista: reflexões sobre alternativas desenvolvimentistas marxistas (The developmental debate: reflexions on Marxists developmental alternatives). Available on-line with English abstract: http://www.scielo.br/pdf/rep/v35n4/1809-4538-rep-35-04-00745.pdf

MOLLO, M.L.M and FONSECA, P.C.D (2014) desenvolvimentismo e novo-desenvolvimentismo: raízes teóricas e precisões conceituais. (Developmentalism and new-developmentalism). Available on-line with English abstract: http://www.scielo.br/pdf/rep/v33n2/a02v33n2.pdf

MOLLO, M.L.R. e AMADO, A. M. A. (2015) O debate desenvolvimentista no Brasil: tomando partido. Economia e Sociedade, Campinas, Unicamp. IE. http://dx.doi.org/10.1590/1982-3533.2015v24n1art1

POSTONE, M. (1995). “Rethinking Marx (in a post-Marxist World)”, Theory Miniconference, “Reclaiming the Arguments of the Founers”, 90th Annual Meeting of the American Sociological Association, Washignton, D.C. .

POULANTZAS, N. (1971). Pouvoir Politique et Classes Sociales. Paris: Maspero.

PRATES, D. (2005) As assimetrias do sistema monetário e financeiro internacional. R. Econ. contemp., Rio de Janeiro, 9(2): 263-288, mai./ago. disponível em https://www.coursehero.com/file/5959741/Prates-As-Assimetrias-do-Sistema-Monetario-e-Financeiro-Internacional/

PREBISCH, R. (1961). “El falso dilema entre desarrollo económico y estabilidade monetária”. Boletín Económico de America Latina, Vol. VI, n. 1, Santiago de Chile, marzo. Repositório da CEPAL, http://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/10070/092_es.pdf?sequence=1

Downloads

Publicado

2018-01-23