Lukács e a crítica dialética ao capitalismo

Autores

Palavras-chave:

Lukács, Capitalismo, Dialética, Moishe Postone

Resumo

O artigo “Lukács e a crítica dialética do capitalismo” é a tradução inédita para o português de um texto de autoria de Moishe Postone, de 2003, originalmente publicado em inglês. O texto se debruça sobre o ensaio “A reificação e a consciência do proletariado” de Georg Lukács, apontando sua importância para o desenvolvimento de uma teoria crítica do capitalismo e da modernidade, porque desdobrada da categoria de mercadoria de Marx. Não obstante tal reconhecimento, apresenta uma crítica fundamental ao pensamento de Lukács por este criticar a forma mercadoria a partir de um materialismo hegeliano para o qual a dialética é entendida como própria do humano, diante da qual o trabalho adquire existência transhistórica, e a superação do capitalismo figura como a realização da identidade sujeito-objeto na forma do proletariado. Ao contrário, a reinterpretação de Marx oferecida por Postone, indica ser a dialética própria à sociabilidade capitalista ao identificar o Geist ao Capital, sendo a partir dela que se deve estruturar a possibilidade crítica desta sociabilidade entendida como crítica do próprio trabalho, de modo a não projetar a superação do capitalismo a partir da realização desta categoria.

 

Biografia do Autor

Fábio Pitta, Professor Departamento de Geografia / Universidade de São Paulo

Fábio Pitta é professor assistente do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo. Tem pós-doutorado em Geografia com um estudo sobre captial fictício e a crise econômica brasileira recente. Seus interesses de pesquisa passam pela interrelação entre capital fictício, crítica do valor e do trabalho e teoria da crise. 

Allan Rodrigo de Campos Silva, Pesquisador de Pós-Doutorado no NEPO-UNICAMP

Doutor em Geografia Humana (2018) pela Universidade de São Paulo (USP) com Mestrado em Geografia Humana (2013) também pela USP, ambas as pesquisas financiadas pela FAPESP. Bacharel em Geografia (2010) também pela USP. Tem experiência nas áreas de Geografia Econômica e Geografia da População. Trabalha com os temas: modernização, agroindústria avícola, relações de trabalho, migrações e refúgio. Traduziu para português o livro "Pandemia e agronegócio: doenças infecciosas, capitalismo e ciência" de Rob Wallace.

Artur Attarian Cardoso Camarero

Mestre em Geografia Humana pela USP (2017), estudo com ênfase na mobilidade do trabalho dos imigrantes armênios na Metrópole Paulistana, bem como nas formas de representação da identitária de descendentes de armênios em diversas localidades visitadas durante o trabalho de campo da pesquisa, o que inclui a experiência de viver três meses na Armênia. Bacharel (2013) em Geografia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Em 2017 traduziu para o português o artigo A Theoretical Model of Genocide, With Particular Reference to the Armenian Case, de Vakhan Dadrian, publicado pela Revista HADES - Revista Interdisciplinar - UNIFESP.

Daniel Manzione Giavarotti, Pós-doutorando no Programa de Pós-graduação em Filosofia

Daniel Manzione Giavarotti é pós-doutorando no Programa de Pós-graduação em Filosofia da USP e atualmente estuda a incorporação das contribuições de Michel Foucault nos estudos sobre periferia realizados por sociólogos urbanos e geógrafos, à luz da crise do trabalho e a ficionalização do capital. Tal estudo é desdobramento de sua tese realizada no Departamento de Geografia da USP na qual discutiu a reprodução fictícia da territorialidade periférica, apontando transformações notáveis na forma de incorporação desta população ao circuito global de reprodução do capital. 

Referências

ARATO, Andrew; BREINES, Paul. The Young Lukács and the Origins of Western Marxism [O jovem Lukács e as origens do marxismo Ocidental]. New York: Seabury Press, 1979.

BENJAMIN, Walter. “Sobre o conceito de história”. In: BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987, p.222-232.

COHEN, Gerald. History, Labour and Freedom [História, Trabalho e Liberdade]. Oxford: Clarendon Press, 1988.

DOBB, Maurice. Political Economy and Capitalism [ed. bras.: Economia política e capitalismo, Rio de Janeiro, Graal, 1978]. London: Routledge, 1940.

ELSTER, Jon. Making Sense of Marx [O sentido de Marx]. Cambridge: University Press, 1985.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1997.

HABERMAS, Jurgen. Theory of the communicative action, vol. 1.[ed. bras: A teoria do agir comunicativo, vol. 1. São Paulo: Martins Fontes, 2012] Boston: Beacon Press, 1984.

HABERMAS, Jurgen. Theory of the communicative action, vol. 2.[ed. bras: A teoria do agir comunicativo, vol. 2. São Paulo: Martins Fontes, 2012]. Boston: Beacon Press, 1987.

HEGEL, Georg W. F., “‘Preface’ to The Phenomenology of Spirit”. In: KAUFMANN, Walter. Hegel: Texts and Commentary: Garden City, N.Y: Anchor Books, 1966.

LUKÁCS, Georg. “A reificação e a consciência do proletariado”. In: LUKÁCS, Georg. História e Consciência de Classe – estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p.193-411.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro 1, vol. 1. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, Karl. A sagrada família. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.

MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

MARX, Karl. Grundrisse: Manuscritos econômicos de 1857-1858 – Esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

MEEK, Ronald. Studies in the Labour Theory of Value [Estudos sobre a teoria do valor trabalho]. New York and London: Lawrence and Wishart, 1956.

PICCONE, Paul. "General Introduction”. In: ARATO, A.; GEPHARDT, E. The Essential Frankfurt School Reader [O essencial do leitor da Escola de Frankfurt]. New York: Continuum, 1982.

POSTONE, Moishe. Tempo, trabalho e dominação social. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014.

SWEEZY, Paul. The Theory of Capitalist Development [ed. bras.: A teoria do desenvolvimento capitalista, Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1976]. New York: Monthly Review Press, 1968.

STEEDMAN, Ian. “Ricardo, Marx, Sraffa”. In: STEEDMAN, Ian. The Value Controversy [A controvérsia do valor]. London: NLB, 1981.

Downloads

Publicado

2020-07-07